Panamericano 2021

MENINOS (Homens) - escrito por Guilherme Secundino Porfírio de Castro

   

Bronze com gosto de Ouro 

Quatro garotos, um objetivo: conquistar a sonhada vaga para os Jogos Panamericanos da Juventude. 

 

Várias incertezas quanto ao regulamento, qual colocação deveríamos ficar? Quem seriam os adversários? 

 

O foco foi: vamos fazer o nosso melhor, deixar a alma em quadra e o resultado será consequência. 

 

Começou a competição individual, passamos todos os atletas para a segunda rodada, único país a conseguir tal feito, para melhorar dois deles passaram para as quartas-de-finais, estávamos com dois atletas entre os 8 melhores da América! Que feito! 

 

Pegamos os cabeça 1 e 2 do torneio, infelizmente o nível era acima do nosso, mas o presságio era que boas coisas estavam por vir, além do mais o torneio por equipes era o evento principal e com os resultados do individual conseguimos ser cabeça 4. 

 

Tensão e estudo constante dos adversários, qual a melhor forma de enfrenta-los ?! 

 

Saiu o sorteio, pegamos o Paraguai, com todo respeito, era o melhor cenário possível, vencemos com autoridade e nos classificamos. 

 

Satisfeitos não estávamos, queríamos a final e quem sabe o ouro, pegamos a seleção cabeça de chave número 1, o México. Comprometemos a lutar até o fim em busca de algo maior, infelizmente não deu, porém saímos com sede que maiores conquistas e hoje nossos quatro garotos estão comprometidos a se doarem cada vez mais, pois o squash brasileiro depende deles e juntos colocaremos o Brasil no lugar que merece estar, que é no topo!!! 

 

Só tenho a agradecer aos garotos de Bronze com gosto de Ouro Gabriel, Yuri, Rhuan e Pedro Paulo por viverem esse momento ao lado deles, fica aqui minha admiração e apoio eterno. 

 

MENINAS (Mulheres) - escrito por Karen Redfren

 

Uma história de Superação!

 

Depois de várias baixas na equipe Feminina para o Pan Americano, conseguimos juntar 4 guerreiras!
 

Todas sabiam das limitações e que não tinham chance de classificar.


Mas podiam fazer algo, que era “dar o seu melhor”, e aproveitar a experiencia.


Apanhamos alguns jogos, mas sempre de cabeça erguida e procurando melhorar a cada jogo.


Fizemos o impossível de vencer o Chile e ficar com a vaga de reserva!!


Todas Voltaram unidas , fortalecidas e jogando  mais e com a certeza de ter cumprido mais do que o esperado.


Minhas pequenas guerreiras Marcela, Manu, Gabriela e Sofie estão de parabéns !!!


Vcs vestiram a camisa com muito coração, orgulho e dedicação !!👏👏